Conecte-se Conosco

Paraná

Em um ano, Patrulha Rural registra aumento de 300% nas apreensões de armas no Paraná

Roy Junior

Publicado

em

Publicidade

O primeiro ano da Operação Segurança Rural, desenvolvida pelas equipes da Patrulha Rural Comunitária da Polícia Militar do Paraná, registrou aumentos significativos na apreensão de armas e no cumprimento de mandados de prisão no Estado.

Entre junho de 2022 e junho de 2023, a operação apreendeu 117 armas de fogo, número mais de 300% superior ao período anterior à operação, entre junho de 2021 e 2022, que registrou apreensão de 28 armas de fogo. As apreensões são feitas em ações como patrulhamentos e bloqueios realizados pelos policiais em rodovias e estradas rurais do Estado, o que garante mais segurança aos moradores destas áreas.

Com a operação, também foram cumpridos 185 mandados de prisão, o que representa aumento de mais de 270% em relação aos 49 do intervalo de junho de 2021 a junho de 2022. Além disso, as equipes foram responsáveis pela recuperação de 71 veículos com alerta de furto ou roubo e apreensão de mais de seis toneladas de drogas. A operação resultou, ainda, em 206 flagrantes de crimes e prisão de 318 pessoas.

Durante esse primeiro ano de operação, os militares estaduais também apreenderam 203 litros de bebidas alcoólicas, 25 sacos de veneno agrícola e 27,7 mil pacotes de cigarros, resultantes de descaminhos (crimes de ordem tributária) e contrabandos.

“A Polícia Militar está presente em todas as regiões do Estado, inclusive as áreas de produção agropecuária. A operação continua com a certeza de que os resultados serão cada vez mais positivos para toda a sociedade”, afirma o chefe da Coordenadoria de Patrulha Rural Comunitária, capitão Íncare Correa de Jesus.

OPERAÇÃO – Criada em junho de 2022, a Operação Segurança Rural, efetivada por meio das Patrulhas Rurais, intensifica o policiamento ostensivo na área rural de todo o Estado, com ações preventivas e repressivas, abrangendo a maior área possível com patrulhamentos, bloqueios e visitas às propriedades rurais.

Em janeiro de 2023, o programa foi reforçado com a criação da Patrulha Rural 4.0, que ampliou as ações, com mais orientações sobre prevenção ao crime, além de reforço na integração com a comunidade. A Patrulha Rural também foi integrada com o App 190PR, uma tecnologia favorável para as pessoas que moram nas áreas de produção agrícola.

Os policiais também visitam e cadastram as propriedades rurais, e os proprietários e funcionários são orientados com base no conteúdo da Cartilha Segurança Rural, criada com o apoio da Federação da Agricultura do Paraná. Nesta etapa, os policiais passam recomendações observadas na Cartilha a fim de minimizar as possibilidades de ações criminosas – como, por exemplo, conserto de cercas e iluminação, instalação de dispositivos luminosos e sonoros de alerta.

Após o desenvolvimento destas ações, produtores e funcionários rurais concluem a primeira etapa da capacitação preventiva e estão aptos a instalar em suas propriedades a placa de identificação do Programa Patrulha Rural Comunitária, o que consolida a participação, reconhecimento e pertencimento da comunidade ao programa da Polícia Militar do Paraná.

Publicidade

Em um ano da operação, foram cadastradas 9 mil propriedades rurais, cerca de 10 mil pessoas foram orientadas e mais de 4 mil placas de identificação foram instaladas. As equipes da Patrulha Rural Comunitária estão presentes em todos os batalhões e companhias independentes operacionais da PMPR (exceto as da Capital) e desenvolvem ações e operações em todo o território paranaense.

Fonte: AEN

Comente usando o Facebook

Publicidade

O Portal Roy NEWS acredita no Jornalismo comprometido com a verdade dos fatos e com a ética, trazendo sempre os principais fatos de Paranavaí e região, além dos destaques nacionais e da mídia.

Clique Para Comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Entrar

Deixe uma Resposta

Paraná

Vencimento da 2ª parcela do IPVA para placas com final 9 e 0 é nesta sexta-feira

Roy Junior

Publicado

em

Publicidade

A segunda parcela do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) de 2024 dos veículos com placas terminadas em 9 e 0 deve ser quitada até esta sexta-feira (23). Para os contribuintes que optaram pelo parcelamento em cinco vezes, os prazos para pagamento da segunda cota venceram ao longo da semana, de acordo com o número final da placa do veículo.

Assim como já ocorria em anos anteriores, as guias de recolhimento (GR-PR) não são enviadas pelos correios. A Secretaria da Fazenda e a Receita Estadual também não encaminham boletos por e-mail nem aplicativos de mensagens.

Os contribuintes do Paraná devem gerá-las por meio dos canais oficiais, como o Portal IPVA, os aplicativos Serviços Rápidos, da Receita Estadual, e Detran Inteligente, disponíveis para Android e iOS, ou Portal de Pagamentos de Tributos.

OPÇÕES DE PAGAMENTO – Uma alternativa de pagamento do IPVA é o pix, por meio do QR Code inserido na guia de recolhimento, a partir de mais de 800 instituições financeiras. O pagamento nessa modalidade é compensado em até 24 horas e pode ser feito nos canais eletrônicos dos bancos ou por meio de aplicativos, não limitados aos parceiros do Estado.

Além disso, é possível pagar o IPVA com cartão de crédito, que permite parcelar os débitos em até 12 vezes. Neste caso, a Fazenda e a Receita chamam a atenção para as taxas cobradas pelas instituições operadoras. A tabela dos juros aplicados por cada uma delas está disponível AQUI.

ALÍQUOTA – A alíquota do IPVA no Paraná é fixada em 3,5% sobre o valor venal de carros e motos em geral. Para ônibus, caminhões, veículos de carga, de aluguel ou movidos a gás natural veicular (GNV) a alíquota é de 1%.
O IPVA representa uma das principais fontes tributárias do Estado, e 50% de sua arrecadação é destinada aos municípios.

ATRASO – A multa é de 0,33% ao dia mais juros de mora (de acordo com a taxa Selic). Após 30 dias de atraso, o percentual é fixado em 10% do valor do imposto.

SITES FALSOS – A Secretaria da Fazenda alerta os contribuintes sobre a existência de sites falsos relacionados à cobrança do IPVA. A recomendação é que as guias de pagamento sejam sempre geradas através dos sites oficiais, cujos endereços terminam com a extensão “pr.gov.br”, ou por meio dos apps da Receita Estadual e do Detran, que fornecem formas seguras de realizar os pagamentos.

Confira o calendário da segunda parcela do IPVA 2024, com vencimento em fevereiro:
1 e 2 – 19/02 (vencida)
3 e 4 – 20/02 (vencida)
5 e 6 – 21/02 (vencida)
7 e 8 – 22/02 (vence nesta quinta)
9 e 0 – 23/02

Publicidade

Fonte: AEN

Vencimento da 2ª parcela do IPVA para placas com final em 9 e 0 é nesta sexta-feira
Foto: Gabriely Smek / Sefa

Comente usando o Facebook

Publicidade
Continue Lendo

Paraná

Com aumento de temporais, Copel acelera investimentos de R$ 252,5 milhões no Noroeste

Roy Junior

Publicado

em

Publicidade

Somente em 2024, a Copel vai investir R$ 252,5 milhões para reforçar e expandir a rede de distribuição de energia que atende a região Noroeste do Paraná, importante polo agroindustrial, comercial e de serviços do Paraná. Em reunião com gestores públicos e empresários, o presidente da Copel, Daniel Slaviero, e o diretor-geral de Distribuição, Maximilano Orfali, apresentaram os investimentos que a companhia está executando.

Os recursos serão aplicados em novas subestações, linhas, redes e na instalação de equipamentos para ampliar e modernizar a infraestrutura elétrica. O montante se soma aos R$ 288 milhões investidos no Noroeste entre 2021 e 2023.

“Nós sabemos da urgência desses investimentos, que são essenciais para o desenvolvimento do Noroeste. Estamos trabalhando para dar respostas cada vez mais rápidas ao grande crescimento da região”, destacou Slaviero.

Orfali explicou que, ao longo dos últimos anos, a Copel tem aumentado sistematicamente o montante investido na rede de distribuição de energia, que em 2024 alcançou a cifra de R$ 2,091 bilhões em todo o Paraná. O diretor também destacou que a companhia está atenta ao crescimento do turismo na região dos balneários que ficam junto ao Rio Paraná. “Nós sabemos que, assim como no Litoral, a população dos balneários aumenta significativamente em determinadas épocas do ano. Por isso vamos dar uma atenção especial a essa região”, acrescentou.

O diretor da Copel explicou que, mesmo com os investimentos, a companhia tem enfrentado desafios relacionados ao aumento contínuo na incidência de temporais de grandes proporções que atingem o Paraná, provocando destruição das redes e desligamentos. Somente em 2023 o Estado foi prejudicado por 24 grandes temporais, número 50% maior do que em 2022 e 118% superior à quantidade de temporais de 2021.

Em 2023, foram registradas 3.935 rajadas de ventos acima de 50 km/h, 14% a mais que no ano anterior e 34,8% superior a 2021. O acréscimo também foi observado na incidência de raios: no ano passado, o Estado foi atingido por 284 mil. Em 2022 foram 228 mil raios e, em 2021, cerca de 100 mil. Os dados são do Simepar.

“Apesar dessas dificuldades, a Copel é reconhecida pela Aneel como uma das empresas que consegue se mobilizar e atender os clientes mais rapidamente durante essas contingências”, disse Orfali.

NOVAS SUBESTAÇÕES – As principais obras em andamento neste ano compreendem a construção das subestações Morangueira, em Maringá, que será concluída ainda em 2024, e das unidades Bandeira, em Campo Mourão, e Cinturão Verde, em Cianorte, que serão entregues em 2025, além de novas redes, instalação de transformadores e aportes no Paraná Trifásico.

Somente a subestação Morangueira, que vai operar em 138 mil volts, recebe um investimento de R$ 44 milhões. Em Campo Mourão, a construção da subestação Bandeira totaliza R$ 59 milhões. Em Cianorte, a nova subestação Cinturão Verde soma R$ 49,1 milhões destinados.

Entre as obras de modernização e ampliação das subestações já existentes na Região Noroeste, destacam-se as melhorias em andamento na unidade Jardim Alvorada (de 138 mil volts), em Maringá. A obra está absorvendo R$ 24 milhões em investimentos.

Publicidade

Em Colorado, o valor aplicado para modernizar a subestação homônima, também de 138 mil volts, totaliza R$ 11 milhões. Há, ainda, obras de melhoria previstas para as subestações de 34,5 mil volts em Roncador, Moreira Sales, Jussara e Maria Helena, com aportes de R$ 1,5 milhão em cada.

Além do investimento em subestações, R$ 198,8 milhões estão sendo destinados a obras de média e baixa tensão. Esse segmento contempla a instalação de equipamentos de automação e modernização da rede, totalizando R$ 9 milhões, além de R$ 54,8 milhões destinados ao atendimento de solicitações específicas de consumidores.

As melhorias em média e baixa tensão também englobam os investimentos no Paraná Trifásico, que receberá um aporte de R$ 120,4 milhões para expansão da rede rural. Trata-se do maior programa de energia rural no país, pelo qual a Copel está ampliando e modernizando a infraestrutura elétrica no campo.
As novas redes, além de mais resistentes, dispõem de equipamentos interligados e automatizados que, em caso de desligamentos, são capazes de restabelecer o fornecimento de energia em poucos segundos.

Fonte: AEN

Com aumento de temporais, Copel acelera investimentos de R$ 252,5 milhões no Noroeste
Foto: Copel

Comente usando o Facebook

Publicidade
Continue Lendo

Paraná

Paraná registra 8,4 mil novos casos de dengue e mais um óbito

Roy Junior

Publicado

em

Publicidade

O informe semanal da dengue, divulgado nesta terça-feira (20) pela Secretaria da Saúde do Paraná (Sesa), registrou 8.414 novos casos, 18.960 notificações e confirmou mais um óbito pela doença neste período epidemiológico, que começou a ser monitorado em 30 de julho. O Paraná soma agora 45.930 casos confirmados, 130.107 notificações e 16 mortes.

Publicidade

O novo óbito é de uma mulher de 64 anos, com comorbidades, residente no município de Londrina, no Norte do Estado, sede da 17ª Regional de Saúde de Londrina.

O 24º Informe Epidemiológico publicado pela Vigilância Ambiental da Sesa registrou também 31.421 casos em investigação e 47.323 descartados. Dos 399 municípios, 292 apresentaram casos autóctones, quando a doença é contraída localmente, e 389 registraram notificações.

As regionais com mais casos confirmados de dengue até ao momento são as de Apucarana (11.518), Cascavel (4.130), Londrina (4.049), Paranavaí (3.964), Ivaiporã (3.678) e Maringá (3.544). Já os municípios com o maior número de casos são Apucarana (8.179), Londrina (3.252) e Maringá (2.066).

CHIKUNGUNYA – O mosquito Aedes aegypti também é responsável pela transmissão, além da dengue, de zika e chikungunya. Durante este período não houve confirmação de casos de zika. Em relação à chikungunya, o documento confirma 567 notificações, 63 casos confirmados e nenhum óbito desde o início do período sazonal.

O boletim completo pode ser consultado AQUI. Mais informações estão AQUI.

Fonte: AEN

Comente usando o Facebook

Publicidade
Continue Lendo
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Policial

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais Lidas