Menu Right

Top Social Icons

Error

Responsive Full Width Ad

Left Sidebar
Left Sidebar
Featured News
Right Sidebar
Right Sidebar

segunda-feira, 23 de agosto de 2021

APAE divulga trabalho realizado em Paranavaí durante a Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla

Foto-Ass.Pref.

Todos os anos, de 21 a 28 agosto acontece a Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla. Organizada pela Federação Nacional das APAEs desde 1963, a semana foi introduzida no calendário nacional através da Lei nº 13.585/2017. A ideia da campanha anual é mostrar os trabalhos desenvolvidos pelas APAEs ao longo do ano, como instrumento de defesa, garantia de direitos e mobilização social. Em Paranavaí, a APAE é o centro de referência para as pessoas com deficiência intelectual e múltipla.
A  Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) de Paranavaí foi fundada em março de 1976 com a missão de promover e articular ações de defesa de direitos e prevenção, orientação, prestação de serviços e apoio à família, colaborando com a melhoria das condições de vida da pessoa com deficiência.
“Hoje nós temos 320 pessoas com deficiência intelectual, múltiplas deficiências ou transtorno global de desenvolvimento sendo atendidas na APAE de Paranavaí. E a lista de espera é enorme. Nós funcionamos como uma escola, que oferece aprendizado pedagógico e também terapias multidisciplinares, de acordo com a necessidade de cada aluno. O atendimento é individualizado, pois cada um tem limitações diferentes a serem trabalhadas e também aptidões diferentes a serem desenvolvidas. E além dos alunos, também damos todo o suporte e atendimento às famílias, através das ações de assistência social que a APAE realiza”, explica a diretora da instituição, Rosana Barbosa Navarro.
Segundo a diretora da instituição, a APAE de Paranavaí atende a pessoas com deficiência intelectual e múltipla de todas as idades. “Diferente do que muitos imaginam, não atendemos apenas pessoas com Síndrome de Down. Esta é apenas uma das síndromes onde a deficiência intelectual se manifesta. Temos aqui desde bebês com poucos meses de vida até idosos. Hoje, nosso aluno mais velho tem 63 anos. Não tem um limite de idade em que eles são obrigados a parar de estudar na APAE. Nosso objetivo é que eles possam se desenvolver e ter o máximo de autonomia possível”, destaca.
Rosana Navarro ressalta que existem diferentes tipos de deficiência intelectual que são acompanhadas pela equipe multiprofissional da APAE de Paranavaí. “As pessoas com deficiência intelectual têm diferentes níveis de dificuldades, seja para resolver problemas, compreender ideias abstratas (cores, noção de tempo, de dinheiro), estabelecer relações sociais, compreender e obedecer regras, argumentar e até mesmo realizar atividades cotidianas como ações de autocuidado. É um desafio diário para eles pois, ao mesmo tempo que têm que lidar com essas limitações, alguns deles têm habilidades superdesenvolvidas. Temos um aluno que tem ouvido absoluto e toca qualquer instrumento que você mostrar uma vez para ele. Se o instrumento estiver desafinado ele não consegue tocar. Ele já viajou para muitos lugares, tocando em festivais e concursos Brasil afora, representando a APAE de Paranavaí. É uma alta habilidade que deu a ele muitas oportunidades de desenvolvimento”, comemora.

A APAE de Paranavaí funciona como uma Associação e, por ser uma instituição escolar, recebe recursos provenientes do Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação). “Além dos recursos governamentais, nós também contamos com a contribuição mensal de pessoas e empresas da cidade. Esses valores de contribuições são usados em situações diferenciadas, que não podem ser atendidas com o dinheiro do Fundeb, já que existe toda uma prestação de contas e um processo burocrático que precisa ser cumprido. Quando a comunidade contribui com a APAE, nós conseguimos levar os alunos para atividades extracurriculares, comprar alimentos para uma festinha diferente, adquirir cestas básicas para algumas famílias dos alunos que estão em situação de vulnerabilidade. Por isso, é tão importante para nós essa participação comunitária”, frisa Rosana.
O Instituto Inclusão Brasil estima que 87% das crianças brasileiras com algum tipo de deficiência intelectual têm mais dificuldades na aprendizagem escolar e na aquisição de novas competências, se comparadas a crianças sem deficiência. Mesmo assim, é possível que a grande maioria alcance certa independência ao longo do seu desenvolvimento. Apenas os 13% restantes, com comprometimentos mais severos, vão depender de atendimento especial por toda a vida.
Semana Nacional – O objetivo maior da campanha é o de divulgar conhecimento sobre as condições sociais das pessoas em situação de deficiência intelectual e múltipla, como meio de transformação da realidade, superando as barreiras que as impedem de participar coletivamente em igualdade de condições com as demais pessoas.
A cada ano é definido um tema que busca conscientizar a sociedade acerca de determinadas necessidades para inclusão plena. A autonomia, o protagonismo e a independência têm sido conceitos recorrentes. Neste sentido, a campanha é uma ferramenta fundamental para promoção de uma atitude de eminência para com a pessoa em situação de deficiência intelectual múltipla em diversos campos da vida.
Em 2021, o tema norteador da campanha é: “É tempo de transformar conhecimento em ação”. Esse tema aponta para o fato de que hoje o Brasil tem uma das legislações mais avançadas do mundo no que se refere à garantia de direitos das pessoas em situação de deficiência, porém, na prática, a maior parte do que se assegura na lei não é acessível a todos. Em um país com dimensões territoriais de continente, as desigualdades das condições de vida são evidentes, bem como a marginalização social de determinados grupos, que por sua condição de vulnerabilidade, necessitam de apoios especializados para superação das barreiras que impedem o exercício pleno da sua cidadania.
Este ano, a Federação das APAEs propôs provocar o debate nacional levando às pessoas em situação de deficiência intelectual e múltipla conhecimento sobre os seus direitos, a partir de conteúdos acessíveis sobre transporte, moradia, acesso à educação, saúde e assistência social, pensando em como assegurar que esses direitos se efetivem na vida diária.
AGORA NA RUA GETULIO VAGAS CENTRO DE PARANAVAÍ

Ass.Pref

RoyNews

Nenhum comentário

Postar um comentário

Responsive Full Width Ad

Copyright © 2018 Roy News | Du Pessoa Serviços Digitais (73) 9 8888 1488