Menu Right

Top Social Icons

Error

Responsive Full Width Ad

Left Sidebar
Left Sidebar
Featured News
Right Sidebar
Right Sidebar
PARANAVAÍ Previsão do Tempo

terça-feira, 4 de maio de 2021

Justiça determina que professores sejam vacinados contra a Covid-19 em Maringá

A decisão liminar obriga que seja cumprida a lei municipal 11.245 de 2021. Essa lei determina que os professores sejam vacinados juntamente com as pessoas de 60 a 69 anos. A prefeitura diz que não é possível cumprir a lei porque as doses enviadas pelo Ministério da Saúde não são suficientes. Na decisão liminar o juiz diz que descumprir uma lei é ir contra o Estado Democrático de Direito.
                                             Foto: Arquivo/AEN

Será que os vereadores de Maringá imaginavam que a lei votada em 23 de março deste ano iria acabar se tornando uma briga judicial?

A lei 11245 determina que os professores sejam vacinados contra a Covid-19 prioritariamente, no grupo de pessoas entre 60 e 69 anos.
A lei foi sancionada mas não está sendo cumprida. Segundo o prefeito Ulisses Maia, a lei não saiu do papel porque não há doses suficientes para vacinar os professores, por enquanto. 

Mas o entendimento do Ministério Público é outro. A 17ª Promotoria que cuida dos interesses das crianças e dos adolescentes entrou com uma ação na Justiça pedindo o cumprimento da lei. O objetivo é contribuir para o retorno das aulas presenciais.
E a Justiça acolheu o pedido do MP. Na decisão liminar proferida nessa segunda-feira (3), o juiz Frederico Mendes Junior da 1ª Vara de Fazenda Pública determina que a lei seja cumprida.

Na decisão o juiz diz que ” negar vigência a aludida lei por conta de sua eventual e suposta impraticabilidade importaria em decisão ‘contra legem’ ”, ou seja, contrária ao texto da lei, o que não combina com o Estado Democrático de Direito.
O vereador Sidnei Telles, um dos autores da lei 11245 e autor do projeto de lei que torna a educação atividade essencial e que está tramitando na Câmara, diz que não se surpreendeu com a decisão da Justiça.

Segundo ele, o prefeito deveria ter vetado a lei, se considerasse impraticável
Atualizado às 08h44:

A prefeitura informou que o município vai cumprir a decisão judicial e vacinar os professores e funcionários de escolas públicas e privadas. Diz a nota enviada pela assessoria de comunicação: “A Prefeitura estava buscando saídas legais para cumprir a Lei Municipal e negociando com os governos do estado e federal uma forma de vacinar os professores.(...) A Secretaria de Saúde de Maringá vai analisar hoje a forma como será feita a vacinação em respeito à decisão judicial.”
Fonte/ CBN por Luciana Peña

RoyNews

3 comentários

  1. O nome certo seria fura-fila?

    ResponderExcluir
  2. Pena que esta determinação seja apenas para os professores de Maringá. Isso deveria ser para todas as professoras e professores do Brasil...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala isso para a família da prefeita de Querência, morta por COVID, com 57 anos. Ela não era professora. Isso para mim é fura-fila. Professores não são diferentes da esmagadora maioria dos brasileiros, mesmo porque muitos professores hoje estão no bem-bom do home office, com pouquíssimo contato com outras pessoas, enquanto o "resto" da cidade de Maringá que se lasque, aguardando a vez de se vacinar.

      Excluir

Responsive Full Width Ad

Copyright © 2018 Roy News | Du Pessoa Serviços Digitais (73) 9 8888 1488