Menu Right

Top Social Icons

Responsive Full Width Ad

Left Sidebar
Left Sidebar
Featured News
Right Sidebar
Right Sidebar
PARANAVAÍ Previsão do Tempo

quinta-feira, 10 de setembro de 2020

Polícia Científica de Paranavaí está se estruturando e até dezembro deve chegar mais 5 peritos

Chefe da unidade reuniu OAB, universidades e Conselho de Segurança para falar como está o processo de organização
A Polícia Científica do Paraná, que reúne o Instituto Médico Legal (IML) e o Instituto de Criminalística (IC), está ganhando corpo, se organizando em Paranavaí e até dezembro, “no mais tardar, janeiro” deverá receber novos peritos.

A informação foi dada nesta quinta-feira ((10) a representantes da OAB, Conselho Comunitário de Segurança e coordenadores do curso de Direito da Unifatecie e Unipar pelo chefe da Polícia Científica na cidade, Evandro Lustre, que está preparando a chegada dos novos peritos, que estão concluindo o curso de formação. O curso já deveria ter terminado, mas a pandemia do coronavírus atrasou o andamento.


Os novos peritos estarão habilitados para atender todas as áreas, mas cada um terás uma especialidade. Quando chegarem a cidade, serão seis peritos: um engenheiro ambiental, um engenheiro elétrico, um engenheiro mecânico, um engenheiro civil, um perito em local de e um perito em computação forense, que é o próprio Lustre. Na teoria, a região era atendia pela Polícia Científica de Maringá. Mas estima-se que em mais de 90% dos inquéritos não havia nenhum laudo oficial de perícia.
Embora ainda esteja em fase de organização, a Polícia Científica de Paranavaí já realizou sua primeira perícia de local de crime na cidade: foi no assassinato seguido de suicídio que vitimou o policial civil Osafá Pereira da Cruz, ocorrido na madrugada do último domingo. O laudo foi feito por Lustre. “Queria muito fazer a primeira perícia em Paranavaí, mas jamais pude imaginar que seria de um colega da área de segurança”, desabafou ele.
PROVA TÉCNICA – A presidente da Subseção da OAB de Paranavaí, Célia Zanatta, comemorou a chegada da unidade especializada à Paranavaí. “A Polícia Científica vem para somar muito na cidade, vem para abrir horizontes, é um presente para Paranavaí”. Lembrou que a unidade é especializada em produzir a prova técnica, porque analisa os vestígios produzidos e deixados durante a prática de delitos. “Ela é fundamental e tem políticas de atendimento à população. Então, a OAB agradece e dará total apoio para manter esta unidade em Paranavaí com as condições necessárias para desenvolver um bom trabalho. Há um ganho, porque as perícias agora, vão além daquelas médico legal, que já eram realizadas, e ainda tem os trabalhos de estudos e pesquisas na área”.
O ex-presidente da OAB, Edilson Avelar apresentou o dossiê com os documentos e ações que foram realizados a partir de 2002 reivindicando para Paranavaí uma unidade do IML e uma do IC. “É uma luta de 18 anos da sociedade. O IML conseguimos em 2010 e agora veio a Polícia Científica”, lembrou ele.

O ouvidor da OAB, Jayme José de Souza destacou o trabalho do falecido presidente da Subseção, Hermeto Botelho, do então deputado Basílio Zanusso e do então prefeito Teruo Kato, que em 1998 deram o ponta pé inicial neste processo.

O ex-presidente Orlando Gontijo destacou o trabalho de seu ex-colega de banca, Edilson Avelar, que atuou para a conquista da Justiça Federal e da Polícia Científica.
CENA DO CRIME - Evandro Lustre explicou que a Polícia Científica é sempre acionada pela Polícia Civil e os laudos são a ela endereçados. Estes laudos dão apoio às investigações, ajudam na instrução do inquérito e podem inclusive promover agravamento de pena no Judiciário. A Polícia Científica de Paranavaí realizará a maioria das análises na cidade, como exames de balística, chassis, local de morte etc. Para situações mais complexas terá o apoio da sede, em Curitiba, com a vantagem que agora, o recolhimento será feito por peritos, que saberão a forma correta de recolher e manusear o material para não prejudicar a perícia.

“Nós já estamos conversando com a polícias Militar e Civil para orientar os policiais sobre a importância da preservação do ambiente do crime. Isto é fundamental para o trabalho da perícia, ajuda a elucidar os crimes e permite um laudo mais completo”, explicou o perito.

No encontro desta quinta-feira, foi aberto também espaço para as instituições de ensino superior. Evandro Lustre se colocou à disposição para informações e palestras, abriu as portas do IML para visitas dos acadêmicos, aceitou participar de debates e até formalizar convênios de estágios. À OAB se comprometeu em ter uma conversa (live) com os advogados da área criminal.
Ao final, antes de uma visita as instalações, Lustre disse que se sentia orgulhoso “em fazer parte desta história (instalação da Polícia Científica) e deste novo capítulo para o qual trabalharei para que seja de muita qualidade”.

Ass.OAB
Fonte RoyNews

Nenhum comentário

Postar um comentário

Responsive Full Width Ad

Copyright © 2018 Roy News | Du Pessoa Serviços Digitais (73) 9 8888 1488