Menu Right

Top Social Icons

Responsive Full Width Ad

Left Sidebar
Left Sidebar
Featured News
Right Sidebar
Right Sidebar
PARANAVAÍ Previsão do Tempo

quarta-feira, 29 de abril de 2020

Com recomendações, COE aprova reabertura de restaurantes e lanchonetes

O Comitê de Operação Emergencial (COE) de Paranavaí decidiu na reunião da última terça-feira, dia 28 de abril, aprovar a reabertura dos restaurantes e lanchonetes da cidade. Os estabelecimentos terão que seguir regras específicas e passar por uma fiscalização prévia da Vigilância em Saúde (Visa). Vale ressaltar que a abertura dos restaurantes e lanchonetes só estará liberada após a publicação de um Decreto Municipal que deve ser publicado nos próximos dias.

“Todas as decisões são tomadas em grupo, pois o COE é formada por pessoas técnicas de cada área e cada uma tem sua devida importância. Vamos permitir a reabertura de restaurantes e lanchonetes com diversas recomendações e restrições, porém, nosso termômetro é o hospital. Se tivermos um crescimento no número de internados na enfermaria e UTI e a Santa Casa começar a ficar lotada, automaticamente teremos que regredir, e não será apenas com os restaurantes. Continuamos pedindo total cuidado à população”, disse o prefeito KIQ.

Os responsáveis pelos restaurantes e lanchonetes devem fornecer as informações necessárias para que a Secretaria de Fazenda e a Vigilância em Saúde possam fazer a fiscalização prévia e a partir daí liberar o estabelecimento para funcionamento. Para isso, é preciso preencher o Formulário on-line disponível no link https://forms.gle/k6BwgtR3JrRHPH687. A Vigilância em Saúde e a Secretaria de Fazenda realizarão as vistorias em conjunto, obedecendo a sequência de cadastramento dos estabelecimentos através do link.

A Vigilância em Saúde também já elaborou uma Nota Orientativa (cartilha) específica para os restaurantes e lanchonetes, sobre como proceder na área do caixa, na limpeza, delivery e outros procedimentos. A cartilha está disponível no site da Prefeitura.

Há também alguns cuidados gerais que servirão para todos. Confira abaixo:

- Controlar o fluxo de funcionários, se possível trabalhar em sistema de rodízio para evitar aglomerações;

- Recomenda-se a substituição dos talheres de uso compartilhado por talheres descartáveis. Caso não se opte por esta recomendação, intensificar a higienização de todos os talheres, incluindo seus cabos, utilizando a descontaminação ao final da higienização solução de álcool 70% por imersão do talher). Preferencialmente embalar individualmente os conjuntos de talheres, para evitar que o colaborador toque outros talheres que possam ser utilizados por outros colaboradores;

- Manter mesas à uma distância de 2 metros entre os colaboradores, orientando a sentar na mesma mesa (caso sejam mesas pequenas), apenas pessoas de convívio próximo (da mesma família). 

- Limitar em 50% a ocupação do estabelecimento;

- Disponibilizar funcionário específico para organizar o fluxo de entrada de clientes que venham a frequentar o estabelecimento. A quantidade de pessoas que ficam dentro do estabelecimento deve ser calculada pela área do estabelecimento, sendo indicado 1 cliente/12m². Ou que se mantenha uma quantidade maior de clientes, desde que as mesas estejam dispostas a 2 metros uma da outra;

- Caso haja clientes aguardando por mesas no estabelecimento, orientar para que se mantenham a uma distância mínima de 1,5 a 2 metros entre si para evitar possíveis contaminações;

- Disponibilizar álcool 70% em gel em áreas comuns (como a entrada do estabelecimento) e onde houver necessidade. Orientar os clientes para que adentrem o estabelecimento utilizando máscara individual;

- Disponibilizar máscaras para todos os funcionários (OBRIGATÓRIO);

- Estabelecer rotina frequente de desinfecção (álcool 70%, fricção por 20 segundos) de cadeiras e mesas após o uso;

- Intensificar a higienização dos sanitários existentes, sendo que o funcionário deverá utilizar luva de borracha, avental, calça comprida e sapato fechado. Realizar a limpeza e desinfecção das luvas utilizadas com água e sabão seguido de fricção com álcool 70%, por 20 segundos, reforçando o correto uso das mesmas (não tocar com as mãos enluvadas em maçanetas, telefones, botões e etc);

- Utilizar barreira de contenção em todas as áreas de atendimento direto para manter distância segura entre o funcionário e o cliente.

Ass.Pref

Fonte RoyNews













Um comentário

  1. Kkkkkkk isso é capacidade técnica? Tem algum da área alimentícia porque se tem algumas coisas aí já deveriam estar dento da cartilha a séculos só quem tem curso de boas práticas de manuseio de alimentos já sabe que usar luva ,toca etc é uma obrigação. Agora, vou ter que arremessar os pratos a distância de 2 m? Pq é isso que tô entendendo kkkkk, minha mãe do céu, fora isso, também tem a questão de visita da vigilância sanitária? Espero que eu consiga abrir antes do final do ano kkkk, só rindo. Porque essas burocracias todas não foram empregadas lá no Frango antes de espalhar essa merda de vírus pela cidade? E os mercados todos poderosos, tem uma fiscalização na banca de batatas para falar que o cara não pode te encoxar enquanto você está escolhendo as suas batatas? Pq a muvuca é boa! Mas só vejo passar plaquinha que nada adianta, gente passeando na pracinhas, fazendo balada aqui no Morumbi que não deixa ninguém dormir, o bar da esquina com cadeiras e mesas e copos de vidro de cerveja e você fechado gastando dinheiro com descartáveis etc e quando você liga no 156 kkkk piada ninguém atende, e no final de semana , ah final de semana né, não precisa fiscalizar! Demagogos, isso sim.

    ResponderExcluir

Responsive Full Width Ad

Copyright © 2018 Roy News | Du Pessoa Serviços Digitais (73) 9 8888 1488