Menu Right

Top Social Icons

Responsive Full Width Ad

Left Sidebar
Left Sidebar
Featured News
Right Sidebar
Right Sidebar
PARANAVAÍ Previsão do Tempo

quarta-feira, 11 de dezembro de 2019

Decisão da Assembléia-Servidores vão reivindicar reajuste salarial de 8%; 2% de aumento real

Outra reivindicação que os servidores vão apresentar
como prioritária será a redução da jornada de trabalho
Em assembleia geral realizada na noite desta terça-feira (10, no auditório da ACIAP, os servidores públicos municipais decidiram apresentar ao Governo Municipal, reivindicação de reajuste de 8%. Este índice é formado pela recomposição salarial – o INPC acumulado é de 3,43%, podendo chegar aos 4% -, mais a progressão, que é 1% de anuênio e 1,5% de avaliação, e 2% de aumento real. Exceto a progressão, os demais índices podem sofrer variações.
A proposta deve ser levada ao prefeito Carlos Henrique Rossato Gomes (Delegado KIQ) entre os dias 20 e 30 de janeiro. “O fechamento do INPC deste ano deve fechar até o final da primeira quinzena de janeiro. Fechando o índice, formatamos a proposta e pedimos audiência com o prefeito para tratar da negociação. A data-base é 1º de janeiro e a concessão de aumento depende de lei a ser enviada a Câmara, que estará em recesso. Nossa expectativa é que isto esteja decidido em meados de fevereiro e receberemos em março, retroativo a janeiro”, explicou o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Paranavaí (Sinserpar), Gabriel dos Santos Luiz.
Durante uma hora e meia os servidores debatem as reivindicações a ser encaminhada à Administração Municipal. Entre as propostas, a que foi tratada com mais ênfase é a de que trata da redução da jornada de trabalho, que para algumas categorias chega a 44 horas semanais. Na assembleia houve quem lembrasse que em algumas repartições são cumpridas apenas 35 horas por semana.
O presidente explicou que o assunto já foi levado à Administração Municipal, que manifestou interesse em resolver a questão, mas que não tem as condições financeiras para tal. A redução da jornada de trabalho, segundo explicação dada a Santos, é que isto implicaria em pagamento de horas extras e o município não tem condições de arcar com esta carga. “Mas nós vamos levar o assunto novamente ao prefeito”, garantiu o líder sindical.Ele disse, também, que é ilusório acreditar que com 44 horas semanais o trabalhador vai produzir mais. “Essa justificativa não é real. Cansado, o servidor vai produzir menos”, disse ele.
Fonte RoyNews- Ass.Sinserpar

Nenhum comentário

Postar um comentário

Responsive Full Width Ad

Copyright © 2018 Roy News | Du Pessoa Serviços Digitais (73) 9 8888 1488