Menu Right

Top Social Icons

Responsive Full Width Ad

Left Sidebar
Left Sidebar
Featured News
Right Sidebar
Right Sidebar
PARANAVAÍ Previsão do Tempo

sábado, 4 de maio de 2019

Supremo dá banana aos brasileiros e compra lagosta para almoço dos ministros



Nem mesmo as denúncias da mídia e da sociedade através das redes sociais, conseguiram sensibilizar e fazer com que os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) recuassem na compra de lagostas para os banquetes diários durante os almoços. 

Também os questionamentos do Ministério Público não serviram para nada e o STF deu mais uma vez uma banana para todos e acertou a compras de lagosta e vinhos importados – com premiação internacional – para as refeições servidas aos seus integrantes e convidados. O valor final do contrato ficou em R$ 481.720,88, de acordo com a assessoria do STF.


Mais que isso, o STF deu as costas para a crise no país, onde perto de 13 milhões de pessoas estão desempregadas e as imagens mostradas pela televisão onde centenas de milhares de pessoas enfrentaram fila quilométrica atrás de um emprego.

Os mesmos togados, pelo jeito, não estão nem aí com a reforma da Previdência, tão necessária para tirar o país da crise e estimular os investimentos internos e externos para a volta do crescimento e a conseqüente geração de empregos.
É certo que o edital provocou desconforto entre ministros da Corte e indignação entre servidores do tribunal. Segundo o blog do jornalista Fausto Macedo, publicado no Estadão, um ministro disse reservadamente à reportagem que a compra não foi previamente discutida pelos magistrados em sessão administrativa e, portanto, não foi chancelada pelo colegiado. A licitação previa originalmente gasto de até R$ 1,134 milhão.

Procurada, a assessoria do tribunal informou que a licitação foi realizada “observando todas as normas sobre o tema e tendo por base contrato com especificações e características iguais ao firmado pelo Ministério das Relações Exteriores e validado pelo TCU”.
MENU.

O menu exigido pela licitação do Supremo inclui desde a oferta café da manhã, passando pelo “brunch”, almoço, jantar e coquetel. Na lista, estão produtos para pratos como bobó de camarão, camarão à baiana e “medalhões de lagosta”. As lagostas devem ser servidas “com molho de manteiga queimada”.

A corte exigiu no edital que sejam colocados à mesa pratos como bacalhau à Gomes de Sá, frigideira de siri, moqueca (capixaba e baiana) e arroz de pato. O cardápio ainda traz vitela assada, codornas assadas, carré de cordeiro, medalhões de filé e “tournedos de filé”.
Os vinhos exigiram um capítulo à parte no edital. Se for tinto, tem de ser Tannat ou Assemblage, contendo esse tipo de uva, de safra igual ou posterior a 2010 e que “tenha ganhado pelo menos 4 (quatro) premiações internacionais”. “O vinho, em sua totalidade, deve ter sido envelhecido em barril de carvalho francês, americano ou ambos, de primeiro uso, por período mínimo de 12 (doze) meses.”

RoyNews- Fonte- Paraná Portal/ Por Pedro Ribeiro

Um comentário

  1. Sem ofender a materia ,mas nada demais ate entao qualquer ser que resida nesse país nao precisa ser muito inteligente pra saber que isso acontece ,fora os cafes etc ,quando um IDIOTA BRASILEIRO ,vai ao SUS ou precisa de um tratamento urgente e alegado o que chamam de principio da reserva do possivel adotado no stf.Mas essa reserva nao existe na compra de lagostas etc O Brasil vai melhorar o dia que exterminar nossa raça .

    ResponderExcluir

Responsive Full Width Ad

Copyright © 2018 Roy News | Du Pessoa Serviços Digitais (73) 9 8888 1488