Menu Right

Top Social Icons

Responsive Full Width Ad

Left Sidebar
Left Sidebar
Featured News
Right Sidebar
Right Sidebar
PARANAVAÍ Previsão do Tempo

domingo, 24 de março de 2019

Delegado de Paranavaí fala sobre prevenção da violência e de outros crimes a partir da Internet

O massacre na Escola Raul Brasil, em Suzano-SP, dia 13 de março, que acabou com a morte de dez pessoas, incluindo os dois assassinos (cometeram suicídio); e o episódio de uma criança, em Goioerê-PR, que pode ter cortado os pulsos após ver um vídeo com as instruções são exemplos de atitudes extremas da nova geração e expõem o debate sobre um componente em comum: o acesso à Internet. 

No primeiro caso, os jovens publicavam textos e fotos com armas, fatos e jogos violentos. No segundo caso, a vítima teve acesso a um material explicando como fazer os cortes em seu próprio corpo. 
A pedido do Diário do Noroeste, o delegado Luiz Carlos Mânica, chefe da 8ª Subdivisão Policial de Paranavaí, listou algumas orientações para pais, familiares e educadores. Adverte que não se trata de opiniões sobre os casos específicos, mas de estudos e da experiência que culminaram em palestras gratuitas em que fala dos perigos e consequências das redes sociais quando usadas de forma inadequada. 


ASPECTOS - Para o delegado Mânica, há que se levar em conta dois aspectos: a parte interna, ou seja, a família do jovem, e a parte externa, o que engloba as amizades e seus núcleos familiares. 

Detalha que é possível perceber anormalidades nas redes sociais dos filhos. Quem deve perceber essas anormalidades são os pais, que têm obrigação legal e ainda respondem civilmente pelas atitudes dos filhos. “Criar filhos é um desafio enorme diante das novas tecnologias”, admite o delegado, completando que não é possível privá-los dos meios atuais de comunicação.
O policial sugere que os pais tenham também contas nas redes sociais e se insiram nos grupos dos filhos, com isso é possível estabelecer um padrão de fiscalização e entendimento, impondo regras - como horários, tempo de permanência nas redes e conteúdos acessados – notícias, entretenimento, etc.

Os pais devem buscar ajuda especializada sempre que tiverem dúvidas sobre o comportamento dos filhos. Um conteúdo acessado, por exemplo, pode revelar carências e até um comportamento que eventualmente evolui para a violência. Por isso, a importância de consultar psicólogos ou psiquiatras diante de situações que fogem do controle.
No âmbito externo, os pais devem ficar atentos às amizades dos jovens, conhecer a família dos amigos e o que for possível quanto ao comportamento dos jovens, Isso também pode ajudar os pais a perceberem alterações nas atitudes dos filhos. “Qualquer mudança deve acender a luz amarela”, reforça.

SENSIBILIDADE - Opinando ainda sobre as necessidades dos jovens atuais, o delegado sugere que os pais devem permitir aos filhos lidar com as frustrações. 
Mesmo não querendo esse sentimento para os filhos, é importante que eles saibam que a vida é feita de vitórias e derrotas, o que alimenta o sonho da conquista. “Perder um campeonato neste ano, pode significar mais preparo e vontade para vencer no ano que vem”, exemplifica. 

Por fim, o delegado Mânica destaca um ingrediente fundamental na proteção aos filhos: o amor. Um ambiente amoroso pode justificar, por exemplo, os muitos “nãos” que o jovem tem que receber no dia a dia. Ao explicar o motivo de uma negativa, os pais podem resumir a resposta: “Porque eu te amo”, cita.
O chefe da 8ª SDP alerta que um ambiente adequado com amor, fiscalização e segurança não é garantia de que nada de anormal aconteça, já que há casos de jovens de aparente tranquilidade que praticam atos inimagináveis, causando sofrimento para os país e para outras famílias. 

Cuidadoso, Mânica reitera que não pretende ultrapassar os limites da mensagem que deseja transmitir, portanto, sem invadir áreas de conhecimento. As suas declarações têm o objetivo de ajudar as famílias na prevenção de crimes ou de atos que gerem consequências para jovens e seus familiares.
PALESTRA DO DISTRITO DE SUMARÉ 

Atendendo solicitação do estabelecimento de ensino, neste sábado pela manhã o delegado Luiz Carlos Mânica proferiu palestra no Colégio Estadual Adélia Rossi Arnaldi, do Distrito de Sumaré em Paranavaí. Ele falou para um grupo de professores e outros profissionais da educação.

Intitulada “Utilização e as consequências do uso indevido das redes sociais”, a palestra consiste em mostrar a importância das ferramentas e também seus riscos. Uma vez postado, qualquer material permanece, fugindo ao controle. Portanto, antes de publicar, é preciso atentar para legalidade e as consequências da exposição.

Adequada ao momento, a palestra também aborda os jovens no mundo virtual e orientações sobre como o professor deve se comportar quando detectar atitudes estranhas de crianças e adolescentes. 

A rede social pode ser fonte de busca de algo eventualmente transferido para o mundo real. Esta transição é o grande risco, já que nem sempre se trata de conteúdo adequado. O delegado ministra palestras na área de atuação da SDP. Ele pede que sejam grupos de pelo menos 80 pessoas. 

TENSÃO EM ALTO PARANÁ 

O tema “Uso da Internet” se tornou ainda mais relevante para a região nesta semana. Na última quinta-feira uma conversa entre jovens na rede gerou momentos de tensão a um estabelecimento de ensino de Alto Paraná. 

Jovens trocaram mensagens e, conforme o delegado da cidade, Dimitri Tostes, um deles copiou e postou uma ameaça de que faria um massacre, citando o estabelecimento. 
O caso gerou alarde e muitos pais telefonaram ou foram pessoalmente durante o período da manhã para saber notícias ou buscar os filhos. 

Houve tanta tensão que as aulas foram suspensas após o intervalo no período da manhã e retomadas à tarde, embora com poucos alunos. Um exemplo de atitude impensada e que não deve ser feita, sob qualquer pretexto

RoyNews- Fonte- Diário do Noroeste

Nenhum comentário

Postar um comentário

Responsive Full Width Ad

Copyright © 2018 Roy News | Du Pessoa Serviços Digitais (73) 9 8888 1488