Menu Right

Top Social Icons

Responsive Full Width Ad

Left Sidebar
Left Sidebar
Featured News
Right Sidebar
Right Sidebar

terça-feira, 15 de janeiro de 2019

NO PARANÁ::Seis municípios do Noroeste estão entre os 25 com maior incidência de dengue

Amaporã, São João do Caiuá, Planaltina do Paraná, Paranavaí, Santa Isabel do Ivaí e Terra Rica estão entre os 25 municípios do estado com maior incidência de casos de dengue em proporção ao número de habitantes.

Paranavaí também está na lista de municípios com mais casos suspeitos notificados, com 331 registros. Perde somente para Londrina (1.005) e Foz do Iguaçu (520).
As 15 confirmações resultantes dos exames laboratoriais colocaram Paranavaí mais uma vez em destaque em relação à dengue. O município está na terceira posição, atrás de Uraí (33) e Foz do Iguaçu (25).

Os números são da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) e revelam a situação preocupante em que o Noroeste do Paraná se encontra. No caso específico de Paranavaí, os dados coincidem com o resultado do Levantamento de Índice Rápido para Aedes aegypti (Lira) concluído na semana passada.
Foram visitados mais de 2.000 imóveis. A cada 100, mais de três tinham criadouros do mosquito transmissor da dengue, garantindo 3,2% de infestação. O índice considerado como tolerável pelo Ministério da Saúde é 1%.

NO LIMITE – Assessor da Vigilância em Saúde de Paranavaí, Randal Fadel Filho afirmou, em entrevista ao Diário do Noroeste, que o cenário é de médio risco, mas muito próximo de ser classificado como de alto risco. Significa que “estamos no limite para atingir uma epidemia de dengue”. 
Se a análise for feita por setores, alguns bairros de Paranavaí estão muito acima do índice de alto risco. Nos jardins Santos Dumont e Ipê e na Vila Operária, o Lira apontou 6,1% de infestação. 
A situação é menos crítica, mas também preocupante, nos jardins São Jorge, Santa Maria, Matarazzo, Vista Alegre e Simone e nos Três Conjuntos, onde o índice registrado foi de 2,6%.

Abaixo desses percentuais aparecem Ouro Verde, Ouro Branco e Silvio Vida, com 2,5%. Em seguida, Sumaré, Morumbi, Vila Paris, Parque Industrial e jardins das Nações e América, com 2,4%. O menor índice foi identificado no Centro e no Jardim Guanabara, 2,3%.
SOLUÇÕES – Para definir estratégias que garantam soluções para o problema, o Comitê Municipal de Combate à Dengue se reunirá na manhã desta terça-feira(15). A ideia é envolver todos os setores públicos, entidades de classe e clubes de serviço, e assim alcançar resultados mais efetivos.

RoyNews- Fonte- Diário do Noroeste.

Nenhum comentário

Postar um comentário

Responsive Full Width Ad

Copyright © 2018 Roy News | Du Pessoa Serviços Digitais (73) 9 8888 1488